quinta-feira, 1 de agosto de 2019

DEZ PERGUNTAS A... MANUELA FRADE


Agradecemos à autora MANUELA FRADE pela disponibilidade em responder ao nosso questionário

1 - Escrever é uma necessidade ou um passatempo?

Escrever é um acto criativo… Uma forma de expressar o meu imaginário, as emoções, as viagens interiores…é complementar ao da pintura ou desenho… Portanto poderei dizer que é uma necessidade porque é o meu modo de ser e de me expressar artisticamente.

2 - Em que género literário se sente mais confortável?

Na poesia ou narrativa poética… Porque é como um espelho da pintura.

3 - O que escreve é inspiração ou trabalho?

80% inspiração é 20% trabalho porque tenho que me preocupar com a qualidade formal e linguística do que escrevo do mesmo modo que o faço quando desenho ou pinto… Sou uma comunicadora, portanto, tenho que pensar em quem lê e em quem vê o meu trabalho artístico.

4- O que pretende transmitir com a sua escrita?

Histórias, pensamentos, viagens no mundo das emoções, esperança, a minha visão da fé, do amor, da vida… a importância do “ser” sem medos ou preconceitos.

5 - Qual o seu público alvo?

Todo aquele que gosta de ler, sonhar, viajar com emoção, apreciar o produto de um acto criativo.

6 - Em que corrente literária acha que a sua escrita pode ser incluída?

Se me permitirem o atrevimento... no lírico impressionista e /ou expressionista… porque umas vezes são flaches ou impressões de “vida”... Outras, a expressão rasgada de sentimentos ou desejos, viagens no mundo sensorial, muito fortes.

7 - Quais as suas referências literárias?

Tenho muitas… Nacionais e estrangeiras… Florbela Espanca, Fernando Pessoa e seus heterônimos, José Afonso, Natália Correia, Sidónio Muralha, Carlos Drummond de Andrade, James Joyce, Samuel Beckett… Entre muitos outros…

8 - O que costuma fazer para divulgar o que escreve?

Tenho blogues pessoais e de grupos de autores... No Facebook… Ou edito virtualmente em editores com o ISSU. Tenho participado em antologias em Portugal e no Brasil como poetisa e ilustradora e como coautora… E ultimamente tenho participado em projetos promovidos pela In-Finita e seus colaboradores.

9 - O que ambiciona alcançar no universo da escrita?

A divulgação do meu trabalho, poder dedicar-me mais à minha carreira artística - escritora versos poetisa versos pintora - e talvez, se surgir a oportunidade, poder dedicar-me mais amplamente à ilustração de obras quer minhas quer de outros autores seria fantástico… especialmente se esse trabalho fosse promotor da verdadeira inclusão… poder ser percepcionado por todas as pessoas… visuais e invisuais, surdo-cegos, de baixa visão... etc.

10 - Que pergunta gostaria que lhe fizessem e como responderia?

Se acho que o meu trabalho faz a diferença e se acrescenta algo… Eu diria que sim porque procuro com ele transmitir a liberdade de pensamento, de sonhar, de criar... a libertação de todo e qualquer preconceito... valorizar e “Ser” e o “viver” plenamente sem medo de sentir e de expressar.

quinta-feira, 25 de julho de 2019

DEZ PERGUNTAS CONEXÕES ATLÂNTICAS A... SEMEANO OLIVEIRA


Agradecemos ao autor SEMEANO OLIVEIRA pela disponibilidade em responder ao nosso questionário
1 - Escrever é uma necessidade ou um passatempo?  
Ambas. Por vezes sinto uma vontade irrefreável de escrever, apesar da escrita ser, para mim, um passatempo. Porque não tenho hora nem tempo certos para o fazer.
2 - Em que género literário se sente mais confortável?
Poesia, Prosa Poética.
3 - O que escreve é inspiração ou trabalho?
As duas coisas. Junto a inspiração de algumas ideias e/ou frases, e a partir dai trabalho as mesmas.
4 - O que pretende transmitir com a sua escrita?
Gosto de abordar Conteúdos Sociais e Humanísticos.
5 - Qual o seu público alvo?
Todas as Pessoas que se identifiquem com a minha escrita.
6 - Em que corrente literária acha que a sua escrita pode ser incluída?
Contemporânea, Modernista.
7 - Quais as suas referências literárias?
Cesário Verde, Pessoa, Camões, Saramago, Baudelaire, Brecht,
8 - O que costuma fazer para divulgar o que escreve?
Participo em Antologias/Coletâneas. Blog, Sites Literários.
9 - O que ambiciona alcançar no universo da escrita?
Quero continuar a sentir o prazer de escrever. Isso é o mais importante.
10 - Que pergunta gostaria que lhe fizessem e como responderia?  
“O que significa escrever para si?”
Escrever é a expressão dos nossos pensamentos, sentimentos. É a transmissão do nosso ser essencial”.

segunda-feira, 22 de julho de 2019

IN-FINITA APRESENTA... FLÁVIO ULHOA COELHO


Flávio Ulhoa Coelho é professor na USP e escritor. O seu primeiro livro, Contos que conto, foi terceiro lugar na categoria contos da 5Bienal Nestlé de Literatura Brasileira e saiu publicado em 1991. Desde então publicou outros oito livros entre coletâneas de contos, romance e infanto-juvenis. Tem contos publicados em diversas antologias e na Revista Brasileira (da Academia Brasileira de Letras). Desde maio de 2015 mantém o blog literário asquintasfeiras.blogspot.com onde publica semanalmente.


Lista de livros.

  • Contos que conto, Editora Estação Liberdade, 1991 (esgotado). Segunda edição no formato e-book pela e-galaxia em 2017 (contos).
  • Ledos Enganos, Meras Referências, pela Editora Escrituras, 1996 (contos).
  • Gambiarra e outros paliativos emocionais, Editora Arte Paubrasil, 2007 (contos).
  • Contos&Vinténs, Editora AGirafa, 2012 (contos).
·        A turma do Costa e o desafio de Xadrez, e-book pela e-galáxia, 2014 (juvenil).
  • Pigarreios, Editora Chiado, 2016 (romance).
·        Guarda-trecos, Belo Dia Editora, 2017 (infantil).
·        as nuvens amortecem a queda, (coleção32), Sangre Editorial, 2019.
·        outros tantos, Editora PENALUX, 2019.


terça-feira, 16 de julho de 2019

IN-FINITA APRESENTA... OUTROS TANTOS, DE FLÁVIO ULHOA COELHO


Às vezes o melhor que podemos fazer por um livro, e respectivo autor, é dar a conhecer a primeira impressão. Assim sendo, aqui fica o texto que Isabela Noronha escreveu para o livro OUTROS TANTOS, de Flávio Ulhoa Coelho.

Leveza, rapidez, exatidão, visibilidade, multiplicidade, consistência: são esses os grandes valores literários, aqueles que merecem ser preservados, definiu Italo Calvino, um dos maiores escritores italianos. Não a toa, cada um deles dá titulo às seções deste livro. Os contos de Flávio Ulhoa Coelho são um mergulho nessas virtudes. Começamos com a leveza – despojamento e sutileza, tanto de linguagem quanto de estrutura – e não estamos mais abandonados. É na companhia dela que viajamos dentro do bonde 53 não para um lugar, mas para outro tempo – um em que cabem desejo, café recém-passado e pão quentinho. Passamos por olhares flutuantes, sofremos, nos reencontramos nos olhares futurantes e somos lembrados de que, encontro ou desencontro, só o final, essa mínima parte, muda. É também uma celebração da leveza o humor de Negro y Blanco em que tudo está posto, porém ainda assim o mistério persiste – um convite à imaginação do leitor, convite esse que perpassa todo o livro. Está no absurdo do homem que carrega uma maleta cheia de dedos em uma “missão secreta” em O carregador de dedos, na saudade rubra e triste de Natal, vermelho, na mudança de ponto de vista em Adoção, na dolorida homenagem ao pai em Nove de Julho. É contando com um leitor ativo, inteligente, que essas histórias se realizam. E, mais que oferecerem respostas, se abrem em um diálogo com a reflexão de Calvino: "Quem somos nós, quem é cada um de nós senão uma combinatória de experiências, de informações, de leituras, de imaginações? Cada vida é uma enciclopédia, uma biblioteca, um inventário de objetos, uma amostragem de estilos, onde tudo pode ser completamente remexido e reordenado de todas as maneiras possíveis."


Isabela Noronha, escritora e professora da pós-graduação Formação de
Escritores do Instituto Vera Cruz, em São Paulo

domingo, 7 de julho de 2019

DEZ PERGUNTAS CONEXÕES ATLÂNTICAS A... SOPHIA VARGAS


Agradecemos à autora SOPHIA VARGAS pela disponibilidade em responder ao nosso questionário

1- Escrever é uma necessidade ou um passatempo?

Quanto mais escrevo mais liberta a minha alma. Falar dos meus sentimentos me acalma.

2 - Em que género literário se sente mais confortável?

Em quase todos, falar de amor é sempre mais fascinante.

3 - O que escreve é inspiração ou trabalho?

Além da inspiração, muito do que escrevo tem vida, faz parte da minha história... tenho fascínio pelas imagens. Às vezes transformo em palavras o que elas vêm me dizer.

4 - O que pretende transmitir com sua escrita ?

Eu faço críticas, falo do meu amor por Deus, e da importância do amor no mundo... pensamentos... ensinamentos...

5 - Qual é seu público alvo?

Variado.

6 - Em que corrente literária acha que sua escrita pode ser incluída?

Romantismo. Realismo.

7 - Quais suas referências literárias?

Livro editado (Tecendo Amor Volume 01)
Em edição (Tecendo Amor Volume 02)
Em edição (Tecendo Amor Volume 03)
- Antologias:
  1 - Poetize-se >>> Editora Versejar
  2 - Com(Vertidos) >>> Editora Versejar
  3 - Recanto dos Escritores do Brasil (01) >>> Editora Versejar
  4 - Recanto dos Escritores do Brasil  (02) >>> Editora Versejar
  5 - Elas e as letras Volume (02) >>> Editora Versejar
  6 - Mulher >>> Editora do Carmo
  7 - Literarte >>> Associação Internacional e Escritores e Artistas.
  8 - Conexões  Brasil / Portugal >>> In-Finita
  9 - (Aguardando algumas aprovações...)

 8 - O que costuma fazer para divulgar o que escreve?

  - Recanto das Letras
  - Pensador
  - KD frases
  - Pinterest
  - Instagram
  - Facebook ( Perfil pessoal e 7 páginas )
  - Saraus em grupos

9 - O que ambiciona alcançar no mundo da escrita?

Apenas reconhecimento.

10- Que pergunta gostaria que lhe fizessem e como responderia?

- Pergunta - Você comete plágio?
- Resposta - Meu encanto não é só pela poesia. Por trás dela há meu caráter. Que carrego no dia a dia.