quarta-feira, 19 de julho de 2017

EU FALO DE... ORGANIZADOR DA COLECÇÃO STATUS QUO

Quando, em finais de 2009, comecei a frequentar eventos literários (quase de forma compulsiva) estava longe de imaginar que passados oito anos seria bem mais que um mero interessado.

Foram oito anos de enriquecimento pessoal, melhoramento como autor e, acima de tudo, de experiências incríveis e gratificantes. Começando pelos lançamentos do meus livros e tudo o que veio associado, sejam presenças em programas de rádio e televisão ou nas feiras do livro (em Portugal e na Suiça); passando pelos convites para apresentar e prefaciar livros de outros autores, moderar eventos ou coordenar antologias, e, ultimamente, para organizar concursos literários e colecções de livros.

Se da maioria dessas experiências fui escrevendo ao longo dos anos, também é verdade que desta última ninguém, para além dos envolvidos, ouviu falar antes da Feira do Livro de Lisboa 2017.

Em primeiro lugar devo mencionar que a ideia de criar uma colecção de livros de poesia, em formato livro de bolso, surgiu, por mero acaso, numa conversa com os responsáveis da Edições Vieira da Silva, num dia que passei pelo escritório desta editora para buscar livros relativos ao patrocínio que fazem ao meu blogue de divulgação de poesia lusófona (outra experiência fantástica). Do nada, o editor António Vieira da Silva falou-me da sua pretensão em criar algumas colecções de livros de bolso e, mediante a forma como expôs a sua ideia, demonstrei, de imediato, interesse em aprofundar o tema e colaborar. Com o tempo acertaram-se princípios base, limaram-se arestas e partiu-se para a acção, com o objectivo de ter os sete volumes da primeira colecção (Status Quo), pronta a tempo e horas para ser apresentada, em Junho, na Feira do Livro de Lisboa 2017. Estávamos em Abril.

Dada luz verde, avancei prontamente para os primeiros contactos com os autores que, em minha opinião, poderiam ser mais-valias neste género de trabalho. Aos que demonstraram interesse em participar, foram-lhes comunicadas todas as condições e particularidades da colecção, entre as quais, a mais relevante para mim, a isenção de qualquer pagamento por parte dos autores, com a editora a assumir por inteiro os custos de edição.

Depois foi só esperar que os autores me enviassem as suas propostas de livro, que analisei, revi e, de comum acordo com os autores, alterei sempre que necessário.

Terminada essa fase, cabia-me a responsabilidade de enviar os ficheiros para a editora que, a partir desse momento, trataria de todas as questões logísticas com os autores, nomeadamente as aprovações de ficheiros finais, capas, badanas e sinopses, antes das assinaturas dos respectivos contratos. Por minha exigência, somente após os contratos assinados é que os ficheiros eram enviados para produção.

A nível pessoal, este projecto foi agridoce porquanto nem tudo correu com eu pretendia e a colecção não ficou totalmente pronta para a Feira do Livro de Lisboa 2017 (apenas cinco números estavam disponíveis no certame). No entanto, e apesar das inúmeras contrariedades e obstáculos que surgiram (escreverei sobre isso noutra ocasião), não posso deixar de me sentir honrado, não só com o convite, da Edições Vieira da Silva, para organizar este projecto, mas também, e certamente em maior medida, com a confiança que os autores depositaram em mim.

Ser o organizador desta colecção foi mais uma experiência enriquecedora que tive o privilégio de viver e que me será muito útil em projectos semelhantes que podem, e vão, aparecer no futuro.

Sei que, independentemente das vozes contestatárias (são poucas mas existem), tenho algum capital de credibilidade juntos de muitos autores e isso pode e deve ser usado por mim para benefício de todos, principalmente dos autores que confiam em mim e nas minhas capacidades.

Para terminar esta dissertação quero reafirmar o que há muito venho dizendo: a satisfação que estas experiências me proporcionam são os meus verdadeiros prémios literários.

MANU DIXIT

4 comentários:

  1. A caminhada é árdua, porém sempre gratificante.Parabéns pela persistência, insistência,profissionalismo, aprimoramento e visão empreendedora e acima de tudo, com ética e respeito pelos profissionais envolvidos. Sou suspeita para falar, pois também,vivo isso, na pele, na alma e na palavra. E que venham muitos projetos literários...Sucesso para todos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mais virão certamente. Grato pelo incentivo.

      Eliminar
  2. Conheço-te desde esse celebre ano de 2009, conheço o teu percurso literário, conheço a essência da tua pessoa, e penso que mereces muito mais do que estes "prémios". És um ser humano excepcional, amigo do seu amigo. És um poeta de "mão cheia", com P maiúsculo.
    Embora eu afirme que amizade não se agradece, neste momento, eu agradeço ter-te conhecido e fazer das tuas amizades.
    Sucesso e felicidade!

    ResponderEliminar

Toca a falar disso