segunda-feira, 2 de julho de 2018

DEZ PERGUNTAS A... ALBERTO CUDDEL



Agradecemos ao autor ALBERTO CUDDEL a disponibilidade em responder ao nosso questionário

1 - Como se define enquanto autor e pessoa?

Como autor acho que gosto de ler o mundo e o sentir e passa-lo para o leitor. Gosto da indução de sentimentos. Como pessoa, sou apenas mais um humano que pisa este mundo na tentativa de deixar a sua marca.

2 - O que o inspira?

Quase respondido na anterior, o que me inspira é a vida e o mundo, o seu lado bom e a também o lado mau da sociedade e do mundo, acho que coloco muitas mensagens e reflexões no que escrevo.

3 - Existem tabus na sua escrita? Porquê?

Não, a nível nenhum. Acho que existem sim ainda muitos tabus sociológicos, nomeadamente ao nível da defesa da vida sobre todas as coisa e ao nível do sexo.

4 - Que importância dá às antologias e colectâneas?

Muita, não ao tanto ao nível da divulgação e massa, mas no conhecimento e partilha com outros autores, ante de ser um autor ou poeta, sou em primeiro lugar um leitor ávido de conhecimento, gosto de ler e sentir outras visões, outras inspirações e temáticas.

5 - Que impacto têm as redes sociais no seu percurso?

Muita, acho que sem redes sociais não escreveria como hoje, elas permitem-me ter outra visão do mundo, da forma como sou interpretado, sejam as redes seja o blog, interagir com os leitores permitem-me saber como é percepcionada a mensagem do poema!

6 - Quais os pontos positivos e negativos do universo da escrita?

Podia falar da qualidade, da dificuldade em publicar em papel, mas isso para mim não me diz muito, nunca fui obcecado com ter o que escrevo em livro, acho que ao nível da qualidade há lugar a tudo, há sem duvida um enorme défice educacional de sentido critico isso sim, mesmo ao nível da interpretação da escrita.

7 - O que acredita ser essencial na divulgação de um autor?

O próprio trabalho do autor, nunca o autor pode apenas escrever e ficar sentado há espera que seja lido, sem nada fazer.

8 - Quais os projectos para o futuro?

Apenas escrever, e crescer a cada poema, como tenho dito muitas vezes, a vida é um caminho, e eu, já deixei a minha pegada.

9 - Sugira um autor e um livro!

“SEM ABRIGO, Escolha ou destino?” de Ana Coelho

10 - Qual a pergunta que gostaria que lhe fizessem? E como responderia?

Ora ai esta uma pergunta interessante, “Porque escreve poesia e não outro género?” o porque desta pergunta pode parecer banal, mas no meu caso é uma pergunta que me fiz demasiadas vezes, talvez pela visão romancista do mundo, poder pintar com palavras, mas acho que no essencial é o poder dar margem ao leitor para se ler a ele próprio, segundo as suas vivências do mundo.

Acompanhem, curtam e divulguem esta e outros autores através deste link

3 comentários:

  1. Excelente. Jamais deixes de ser quem és.

    ResponderEliminar
  2. Parabéns. Serás sempre o poeta com quem me identifico e com quem também aprendo todos os dias um pouco.

    ResponderEliminar

Toca a falar disso