sábado, 31 de março de 2018

ADRIANA FALA DE... VOZES IMPRESSAS


“ A vida é a arte do encontro”, como dizia Vinícius de Moraes, baseada nisso, nada mais justificável do que homenagear sete anos de existência das Edições Vieira da Silva, que promove com excelência a arte do encontro e das palavras na sensibilidade poética de cada autor.

VOZES IMPRESSAS, um presente para ser oferecido e relido, é o encontro do sentir, de vivencias e talentos impressos, é a alma exposta de cada poeta que faz parte da trajetória de editora.

Essa foi a minha apresentação no livro coletivo VOZES IMPRESSAS, meu primeiro trabalho de coordenação literária em Lisboa. Fiquei surpresa e gratificada pela receptividade imediata da editora com a sugestão de um trabalho comemorativo e a aceitação dos autores que enviaram seus poemas, em um processo de quase três meses entre recolha, seleção, revisão, e cuidados em manter na paginação, cada estrofe primando pela qualidade poética. Desde a capa até à última página, a ideia da simplicidade  e  leveza, ficaram do jeito idealizado, bem entendido pela editora e sua equipe, onde a única preocupação era emocionar, através das VOZES IMPRESSAS de cada autor.

O lançamento foi uma mistura de tudo isso. Comemoração e emoção, por motivos pessoais e profissionais. Nas palavras de incentivo do Emanuel Lomelino apresentando o livro, e também responsável pelo meu primeiro contato com a editora e que com a sua experiência e alto nível de exigência, muito tem-me ensinado nessa caminhada.

Comemoração e emoção, por motivos pessoais e profissionais. Foi uma grande confraternização e encontro de autores, brasileiros, portugueses e africanos, onde me senti privilegiada em fazer do meu trabalho esse encontro de pessoas, histórias, culturas e sentidos.

E é ainda nesse clima de encontros e celebração, que agradeço às Edições Vieira da Silva, pela confiança em meu trabalho, e ao carinho recebido por parte dos autores participantes. Agostinho Silva, Albertina Pereira (Violeta), Alcino Ferreira, Alexandre Acampora, Ana Matias, Ana Teresa Machado, António Boavida Pinheiro, António M R Martins, António Pereira Bartolo Coutinho, Armando Leite, Beni Chaúque, Célia Moura, Dário Vidal, Delfim Carvalho, Francisco Luís Silva, Isabel Antunes, Isabel Bastos Nunes, Isabel Esperança, Isabelle Fochier, Jane Revet, João de Sousa Portelada, João Sevivas, João Videira Santos, Jorge Emanuel Oliveira Dinis, Luiz Otávio Oliani, Manuel Machado, Manuel Timóteo de Matos, Margarida Gomes, Maria Antonieta Oliveira, Maria Cristina Estrompa, Maria Elisabete da Silva Matos, Maria Estrela do Mar, Maria João Machado, Ngunza Domingos Alberto, Octávio Carmo Santos, Oliveira Santos, Paulo Galheto Miguel, Prazeres Jacinto, Rosa Lapinha, Sara Timóteo, Susana Campos e Vieirinha Vieira.

As Vozes Impressas continuam ecoando. Como sou a favor das Antologias e Coletâneas, para a integração dos autores e conhecimento de suas obras, além da facilidade de uma divulgação mais ampla por ser coletiva, atingindo leitores e criando laços entre os poetas.

Até breve,

Adriana Mayrinck

Sem comentários:

Enviar um comentário

Toca a falar disso